O jeito Wizard' de comandar empresas que valem R$ 3 bi

A sala de reuniões em que Carlos Wizard Martins e os filhos gêmeos Lincoln e Charles Martins recebem o Valor é sóbria, seguindo o estilo dos donos do Grupo Sforza, gestora de investimentos da família Martins. O ar condicionado só é ligado durante o tempo da entrevista. Carlos chega primeiro com Lincoln; Charles aparece alguns minutos depois, vindo de um compromisso anterior. Apesar de ser o último a chegar, Charles é o mais falante do trio e responde boa parte das perguntas destinadas ao presidente do Grupo Sforza e seu irmão gêmeo, Lincoln.

Carlos, sempre eloquente e formal nas entrevistas, deixa para os filhos a responsabilidade de responder a maioria das perguntas. "Por ser o fundador e o patriarca, me preocupo em não assumir uma posição dominante. Procuro entender o que cada um propõe, em vez de fazer valer apenas a minha vontade", disse Carlos, insinuando um clima de harmonia na gestão.

Como toda grande empresa familiar, o Grupo Sforza tem no seu fundador a figura mais forte, ainda que os filhos ganhem cada vez mais relevância nos negócios. A história de Carlos Wizard Martins começou em 1987, quando fundou a escola de inglês Wizard. Seu método de ensino, em oito semanas, foi aprendido com os mórmons, na Igreja dos Santos do Últimos Dias, da qual é seguidor. Ao longo dos anos, além de formar a rede de escolas Wizard, Carlos adquiriu outras empresas de educação, criando o Grupo Multi. Dono das redes Wizard, Yázigi, Skill, Alps, SOS Computadores e Microlins, o grupo chegou a ter 50 mil empregados e 1 milhão de alunos. Wizard cogitou abrir o capital do grupo. Mas, em dezembro de 2013 decidiu vender o grupo para a britânica Pearson, por R$ 1,95 bilhão. Carlos pretendia tirar um ano sabático. Porém, oito meses após a venda do grupo foi convencido pelos dois filhos a voltar ao mercado de franquias. Em 2014 comprou o Mundo Verde e formou o Grupo Sforza, para administrar o capital da família. De 2014 a 2017, a lista de empresas no portfólio da família saltou para 14. Juntas, têm valor de mercado estimado pelo grupo de R$ 3 bilhões, excluindo as operações do KFC e da Pizza Hut.

O que levei 27 anos para construir da primeira vez foi superado em três anos

afirmou Carlos

comparando os grupos Multi e Sforza. Wizard mantém uma gestão conservadora dos negócios. O grupo diversifica ao máximo os investimentos e prefere apostar em franquias, que exigem menos capital do que uma fábrica ou uma rede de varejo própria. "É um grupo muito profissionalizado e que executa bem suas estratégias de expansão de redes de franquia, gerando rentabilidade para os franqueados e a família", afirmou André Friedheim, vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF). No Grupo Sforza, sediado em Campinas (SP), Lincoln Pimentel Martins, 38 anos, atua como presidente executivo, Ele é formado em Economia pela Brigham Young University, de Utah (Estados Unidos), com MBA em gestão comercial e administrativa pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Continue a leitura