Setor
03/06/2016
Escrito por Gazeta do Povo
Cinco ideias de negócio para fabricar alimentos com pouco investimento

O mercado de alimentação continua sendo atrativo para quem pensa em empreender. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), o setor, que inclui produtos alimentares e bebidas, faturou R$ 562 bilhões em 2015, valor 6% maior que o registrado no ano anterior.

Para quem pensa em ter uma fábrica na área, é possível começar em uma área de 80 m² e investimentos a partir de R$ 32 mil. Mas, antes, o empreendedor deve procurar por informações de mercado para ver quais são as oportunidades e riscos de cada negócio.

Também é necessário consultar a legislação vigente para se adequar às normas sanitária e ambiental e respeitar a lei de zoneamento de casa município. Tais informações podem ser encontradas nos portais do Sebrae e prefeitura.

Abaixo, listamos algumas oportunidades inusitadas no segmento de fábricas na área de alimentação, mas que têm espaço para ganhar mercado. As informações são do .

Fábrica de bala de gomas

A principal vantagem de abrir uma fábrica de bala de gomas é a facilidade. Segundo o Sebrae, não é necessário comprar equipamentos sofisticados, pois a fabricação depende somente de utensílios de cozinha para mistura dos insumos e posterior cozimento. A distribuição também é simples e pode ser feita através de pequenos pacotes. A indústria pode ser erguida em um terreno de 600 m², com um galpão de 150 m² de área útil. Em geral, com investimento a partir de R$ 400 mil, incluindo capital de giro, já é possível ter a sua própria fábrica de bala de gomas, de acordo com levantamento do Sebrae atualizado em 2010.

Fábrica de biscoito de polvilho

Os biscoitos de polvilho são famosos por serem leves, pequenos e baratos. As fábricas que fazem esse produto têm uma estrutura simples e podem ser montadas em áreas com no mínimo 300 m². A equipe deve incluir um cozinheiro, dois auxiliares de cozinha, um auxiliar de limpeza, um vendedor e um administrador. Os equipamentos e móveis para começar a fabricação de biscoitos de polvilho demandam investimentos de cerca de R$ 83 mil. O custo total, incluindo capital de giro para os três primeiros meses e demais instalações, sai por R$ 165 mil.

Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Fábrica de conservas

Com a variedade de legumes e verduras presentes no Brasil, abrir uma fábrica de conservas pode ser uma boa opção de negócio para quem pensa empreender. Segundo o Sebrae, potes de conservas se resumem em selecionar e conservar alimentos para um período de consumo estendido. A equipe do negócio deve ter de dez a 13 pessoas, incluindo operadores de máquinas, auxiliares de produção, auxiliar de serviços gerais e auxiliares administrativos. A fábrica pode ser aberta em uma área de 180 m², com capacidade para produzir dois mil kg por dia, com um investimento inicial de R$ 250 mil a R$ 300 mil.

Fábrica de gelo

O gelo pode ser usado para preservar alimentos, resfriar bebidas e para fins terapêuticos, o que abre uma série de oportunidades de negócio. Uma fábrica de gelo deve ter, no mínimo, 80 m² para produção de gelos em cubos, barras e escamas, além de câmaras frias para armazenamento. Para construir a indústria, será necessário investir a partir de R$ 80 mil, valor que inclui instalações elétricas, hidráulicas e administrativas. O custo total, que prevê máquinas, utensílios, caminhão para transporte e capital de giro, sai por volta de R$ 300 mil.

Fábrica de hóstia

A hóstia é uma farinha de trigo e água usada em missas para simbolizar o pão sagrado. Antigamente, apenas freiras faziam hóstias artesanalmente, mas, quando o produto começou a ser usado por fonoaudiólogas e confeiteiras, empresas se especializaram na sua produção. Para abrir uma fábrica de hóstia, será necessário investir a partir de R$ 32 mil, valor que inclui mobiliário, reforma, equipamentos, despesas administrativas e capital de giro para os três primeiros meses.





COMPARTILHE
 
VOLTAR