Setor
18/05/2016
Escrito por DCI
Festas juninas podem garantir mais vendas

ESTRATÉGIA. Em ano de retração econômica, fabricantes reforçam a presença no varejo com itens típicos e apostam na diversificação do mix de produtos para incrementar negócios em até 30%

São Paulo - As fabricantes de alimentos esperam um impulso nas vendas de produtos típicos de festa junina em 2016 ante o ano passado. Executivos do setor projetam volumes até 30% acima de 2015, com diversificação do mix de itens e expansão de pontos de venda.

A Bono Gusto, dona da marca Dadinho, prevê expansão de 30% nas vendas totais em 2016 em relação ao ano passado, principalmente devido às estratégias com foco na festa típica, conta presidente da companhia, Paschoal Del Matto.

Segundo ele, a empresa vai aproveitar o período junino para ampliar a linha do conhecido doce de amendoim. O portfólio da marca Dadinho terá uma versão espalhável (pasta), para ser consumida com pães e torradas, um biscoito wafer com recheio de amendoim e também os snacks no sabor, em versões menores para lanches rápidos.

"Vendemos Dadinho o ano todo. Mas é um produto clássico [amendoim] e típico das festas juninas, que vende bem nesta época. Um blog publicou sobre a versão creme há alguns meses e depois disso não pararam de nos procurar", comemora ele.

O executivo observa que os derivados de amendoim são populares no Brasil, embora tenha notado que a estratégia de diversificação já rendeu ganhos. "Estamos impressionados com as vendas, que estão fortes por causa dos lançamentos, não por causa das festas em si. Se não tivéssemos investido nessas novidades o nosso crescimento seria de 6%, mais ou menos", revela.

A consultoria Euromonitor estima que as vendas totais de amendoim no mercado interno saltem de 207 mil toneladas em 2015 para 211 mil toneladas este ano. Até 2020 a expectativa é que os brasileiros consumam cerca de 219 mil toneladas do produto por ano.

O crescimento das encomendas de produtos doces e salgados à base de amendoim no período das festas juninas levou a Santa Helena a promover um reposicionamento da marca. A estratégia deve resultar em avanço de 15% nas vendas este ano, em relação ao mesmo período de 2015, informa a fabricante em nota.

A maior novidade da Santa Helena é a Paçoquita com cartões colecionáveis e informações sobre as modalidades dos esportes olímpicos. A empresa aposta nos já conhecidos itens de amendoim, nas versões torrado e japonês, e o pé de moleque Crokatto.

Outra que deve ampliar o mix de produtos no período, é a General Mills, dona da marca Yoki. A empresa não pôde atender a reportagem do DCI, mas por meio da assessoria de imprensa informou que a linha de pipocas para micro-ondas irá contar com novos sabores: mostarda alemã e calabresa acebolada. Já as pipocas prontas terão versões nos sabores de bacon e cheddar.

Em nota, a companhia reforça que o período das festas juninas é um dos mais importantes do ano para vendas.

Ponto de venda

Executivos avaliam que, diante do quadro de retração econômica muitas famílias vão desistir de viajar nas férias de julho, o que também pode beneficiar as vendas de produtos típicos de festa junina.

Diante desse cenário, a Zaeli incrementou os pontos de vendas e estima alta de 15% em volume de vendas no período sobre um ano antes. O diretor de marketing da empresa, Alessandro Guerra, diz que a meta é chegar a 2 mil unidades, embora aposte que o número será ultrapassado.

"Montamos, em média, 600 barracas [stands] por mês entre maio e julho. Ano passado alocamos 1.570 unidades. Agora podemos até passar um pouco da meta, pelo que observamos do ritmo de encomendas e vendas", afirma.

Guerra também confia nos produtos mais conhecidos da marca, como a linha de farináceos e pipoca, para reforçar as expectativas de boas vendas. "Além do Natal, a época das festas juninas é a mais importante do nosso calendário".

Ele enxerga nas encomendas de pontos de vendas uma boa saída neste ano difícil para a economia. "As solicitações estão crescendo, temos um bom volume de encomendas mensal. Estamos com novos clientes no varejo", diz.

De acordo com o executivo, as encomendas começaram a ser recebidas pela Zaeli no início em abril e devem acontecer até a primeira quinzena de julho. Apesar da ausência de grandes lançamentos, o mix de produtos clássicos como floco de milho, batata palha e milho de pipoca deve manter o interesse do consumidor.

A Bono Gusto também conseguiu um acréscimo de 60% na carteira de clientes este ano, conforme Del Matto, em função principalmente dos lançamentos na linha Dadinho. Ele calcula que, ao todo, a empresa conte com 1,8 mil varejistas cadastrados e comprando os itens.

O presidente da Hikari, Luiz Kurita, também está otimista para as vendas produtos típicos e investiu nas ações em pontos de vendas.

"As festas juninas são, para nós, como o Natal para quem fabrica panetone. Este ano começamos a decoração das lojas até um pouco antes com as barracas temáticas, por demanda de cliente. Essa ação faz o movimento de consumidores aumentar", conta.

A Hikari deve registrar alta de 12% a 14% nas vendas totais este ano na comparação com 2015, mas não divulga cifras.

Reajuste de preços

A previsão de crescimento é apoiada nas expectativas de baixas temperaturas já que a companhia foi obrigada a repassar aumento de custo. Kurita destaca os preços subiram até 60%. "A expectativa é boa porque o clima frio colabora com as nossas vendas e estamos falando de uma festa muito tradicional. Mesmo com o reajuste de derivados do milho e aumento de 60% no preço do amendoim, estamos otimistas", afirma o executivo.

Paschoal Del Matto, da Bono Gusto, também avalia que os produtos de festa junina ficaram 24% mais caros em relação ao ano passado por conta do reajuste dos preços de matérias-primas, como açúcar, gordura e amendoim, além do custo da energia elétrica.





COMPARTILHE
 
VOLTAR